sábado, 28 de fevereiro de 2009

Filosofia: o anti-cristo

Disseram-me que 
O anticristo falou 
Estabeleça-se entre anarquistas e cristãos 
Que perfeita equação? 
Qual a finalidade e instinto 
Que gera destruição? ...formação intelectual Hitler! 
Que vergonhoso teste de “construção” 
Seis milhões de inocentes mortos 
Olhando livremente a liberdade 
A convicção em si mesmo, o prendeu mortalmente 
Os grandes espíritos céticos 
Gozando a liberdade na prisão 
Presos no seu intelecto a seu serviço 
Máquinas assassinas do inferno 
Criam humanas convicções mutatórias 
Que morrem nas fraquezas da limitação... 
“ a crença em si mesmo, em si mesma uma expressão, doente de privação de si!?!” 
Qual o ponto que está o crente em si??? 
O forte em si mesmo 
Condicionado a escravidão de si?
E o que diz o crente em Deus? 
O fraco, Eu sou forte naquele que me fortalece 
Para surdos, ver gestos, significa mais que ouvir razões... 
Quem está dentro de mim, 
Também se manifestou lá fora!!! 
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros,2002.
                  

Preconceito: Eternidade ou teatro

Que cenas estigmatizantes 
Tatuagens de minha alma 
Fui no teatro da vida 
Espetáculos de aplausos 
Uma farsa mentirosa 
Retrato da corrupção 
Lá o palhaço chutava uma bola 
Rolava a gigante! Rolava! Girava! 
Colorida com belas cores 
De repente: Explosão barulhenta 
Estourou na cara do palhaço 
Pedaços de papel 
Voaram para todos os lados 
Retalhos escritos! 
Mentira solidão! Ódio! Traíção. Fals!!. 
Indaguei-me: 
Mas o palhaço não é feliz? 
Porque chora pela bola 
Tão suja de lixo? 
Ele a amava e a chutava? 
Que lindo teatro!
Tela colorida que assisti. 
O palhaço chorou! Chorou! Chorou... 
A maquiagem desmanchou em seu rosto!  
Era um negro infeliz 
Com três dentes na frente! 
Dois casamentos! 
Nove bandidos e seis prostitutas 
Ensinando-me lições de vida!! 
Por trás da máscara... 
Só Deus sabe, meu filho!!! 
Minhas gotas de lágrimas 
São por toda eternidade 
Não sou inocente, 
Estou vestido. 
Mestre, já tenho Cristo!         
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

FILOSOFIA E TEOLOGIA : AMIGO AJADJA

Bem, Ajadja!! 
Não Serei irônico 
Sim! Sempre verdadeiro
E aquelas perguntas? 
Ninguém me respondeu verdades!!. 
Continuam nos meios! 
Então porque sou homem? 
E tanta repressão a energia casual? 
O que é essa moral? 
Antichirst matou Deus? 
E agora, Ajadja? 
Vão salvar o entulho de átomos sentimentais? 
Esses argumentos deles!!. 
Oh! Não são vícios graves? 
Não são  fraudosos? 
Mentiras traiçoeiras em nome da verdade! 
Como colocar em ordem
O que por natureza é uma desordem,  
Se não existe arquiteto universal? 
Como dizem  uns de vós! 
O que é honesto no seu sim e não? 
O que é certo  ou errado? 
Qual o padrão moral estabelecido? 
Não sou aberração do acaso?
Quem é Nietzsche, Marx, Darwin e Platão? 
Que é  arte e filosofia? 
Quais as combinações químicas pensantes
Que, com um golpe de misericórdia, 
Mataram o velho Deus? 
Uma explosão atômica de pensamentos? 
Onde está o atestado? 
Como matar o que não existe? 
Onde o enterraram? 
Ah! No fundo da prefeitura? 
O que me faz crer, 
Esse bolo químico atômico 
Matou a pessoa enganada! 
Eu desfilei com Deus ontem!!! 
Conversei com ele!!! 
É ilegal condenar quem não existe, 
Se tem dúvida, 
Que está vivo ou não, um erro maior!!! 
Incoerência racional 
Onde está o réu? 
Não se toca, em coisa que não se explica! 
De onde vieram os gases  
Hidrogênio e hélio? 
O que me diz da energia? 
Apareceram por aí? 
E antes deles? 
Eu sou primeiro! 
"Só sei que algo é." 
E o que vai além da experiência? 
O eterno! 
Imóvel! 
Imutável! 
Será explicado no tempo móvel das ciências das coisas em movimento? 
“Deus e somente Deus é a verdade!” 
Ah! Tu és voz muda 
Do mundo dos fenômenos 
Tudo é acidental? 
“Não há algo como ser homem e ser animal? 
O que um ser não pode ser?” Contradição! 
A grande questão é, Ajadja! 
Homem não é homem? 
A razão é vive-se por toda eternidade! 
Ou nunca seria eterno Cristo o mistério desvendado 
Que nos une! Bom e bom! 
Verdadeiramente estávamos separados 
Essência e existência, ser de Deus!... 
Ser criado, homem!!! 
Essência e existência separados 
Todos pecaram; os seres criados, 
E separados estão da essência Deus! 
Unidos em Cristo.
 
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002
       

TEOLOGIA E FILOSOFIA : TORNANDO SER

Então o Senhor Deus disse: 
"Eis que o homem se fez como um de nós, 
Conhecendo o bem e o mal,  
Ora não aconteça que estenda sua mão, 
E tome também da árvore da vida, 
E coma e viva eternamente” 
Coma da árvore da vida, 
E viva eternamente!? 
Tu já conheces o bem e o mal 
Agora tu és igual? 
Como viverás eternamente? 
Onde está a árvore da vida? 
Coma! Que viverás eternamente! 
Tu amas  a do conhecimento 
Do bem e do mal? 
Onde ela está? 
No seu sangue! 
Morte! 
Pecado original! 
Depravação total! 
E o diabo? 
Sombra mentirosa! 
Eu conheço fogo, 
Não preciso pular dentro dele, 
Meu conhecimento diz que ele queima! 
Sou químico! 
O fogo não é ruim! 
Se pular dentro dele ele mata! 
Prova de fogo!!
Quem criou o mal? 
Quem criou o mal? 
Quem criou o mal? 
Quem descobriu que o fogo queima? 
O fogo é mal?
 
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002

ATEUS : LOBO-DO-MAR

Oh! Golpe fatal 
Que aberração organizada 
Criaram moral 
Para máquina química 
Caldeirão fervente 
Do suicídio aquecido 
Resultado coerente
Da existência química 
Intermináveis angústias 
Mude sua evolução no laboratório 
Para homem sem sofrer!!!? 
Coisa que ama, 
Por qual razão? 
Se não tem Deus-pessoal!!!? 
Tu tens mais dele? 
Ou do Deus-energia?! 
Tu vês o homem como não-homem? 
Qual a razão para sua vida programada?! 
Se não acredita em nada! 
Filho de um acontecimento cósmico? 
Que é sua arte? 
Se tu és o objeto do absurdo? 
E sua filosofia greco-européia?!!! 
Não passarão de aberrações? 
Tu me educas na cultura! 
Programando-me para a desprogramação? 
Tratando-me como se eu não fosse aberração 
Qual a moral de sua história? 
Intelecto de macaco! 
Ensinando-me o quê? 
Se eu já sou! 
Creio no Deus-pessoal! 
Jesus Cristo Filho!!! 
Quem és tu? 
Como raciocinas? 
Salva-me agora, Darwin, com seleção natural!!! 
Tu acreditas em Deus? 
Como acreditas na evolução? 
Se há um propósito divino,
Então tu segues "propositadamente"! 
!!!
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002

POESIA CONTEMPORÂNEA: LIVRO PASSATEMPO

O relógio na parede
Tic-tac-tic-tac... 
O grilo lá fora 
Jogo de palavras cruzadas 
Enxaqueca de cabeça 
Passatempo nas mãos 
Livro que  não tem sentido 
Poesias contemporâneas 
Que nada! Que sono! 
Vou dormir!
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002

TEOLOGIA E CONTO : SONHO E ETERNO

Que sonho sonhei 
Construindo um barquinho 
Lance-o no mar 
Com uma formiguinha 
Eu disse: Procure suas amiguinhas! 
Que pesadelo! que tragédia! 
Toda terra virou mar!!! 
No sonho! No sonho! 
O barquinho flutuava!flutuava! 
Dias, anos, eras e séculos e nada achava  
Girando toda terra 
A formiguinha não morria 
No sonho! No sonho eu sorria! 
Ela estava segura!.. 
Dentro de mim! 
Navegava sobre o mar! 
Seu destino eterno 
Dentro de mim, nunca terá fim! 
Tu estás dentro de mim! 
Formiguinha! Navegando! Navegando!
Não pode fugir! 
Procurando as amiguinhas 
Enquanto eu vou sonhando 
Quando eu me levantar 
Pegarei seu barquinho em minhas mãos 
Tu estarás viva! 
Olhando para mim! 
Exclamará: Puxa vida! 
Agora vejo que estava perdida! 
Só assim reconhecerá 
Que esteve dias e noites, 
Perdida dentro de mim! Elohim...
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002.
       

ATEÍSMO : MUITO PESSOAL

De deuses dos povos Conceberam o deus absurdo 
A unidade energética-impessoal 
Imoral religiosidade cósmica 
Fico desajustado com suas leis 
Transgride a si própria 
Inteligência desnivelada  
Criou algo superior 
Logo depois morreu! 
Vergonhosa mentira impessoal não humana 
Ilusão dos perseguidores sentimentais 
Desestruturada realidade rabugenta 
Ah1não!não!o deus cósmico não tem coração?!! 
Que frustração! Que mente vazia! 
O não sentimental 
Dá vida um ser sentimental?!! 
Esse burro o inteligente? 
O morto impessoal ao vivo pessoal?...
Onde  se vê isso! 
Tu és uma energia sentimental frustrada?! 
Aliás a única que sorrir! 
Gotas desesperadas do impessoal? Como? 
Oh! Não! Não! Intelecto ateu 
Teu deus é miserável! 
Também está abandonado!!!!!!!!!!... 
Tem razão! É burro demais para ser deus! 
Ah! Sim! Sim! Olhe para o meu 
Está bem ao seu lado! 
Se indentifica, Com seu interior... 
Ama! Fala! Vê! 
A personalidade pessoal!!! 
Não me explica o impessoal                                                                                                                           
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002

ATEUS : ABSOLUTO

Veja! Veja! Veja!

Nada! Nada! Nada!

Dicas filosóficas...

Antifilosóficos absurdos

Não tem propósito a existência?

E desgastados buscam explicações?..

Como procurar o que não existe?!.

Descobre-se tudo que existe de visível!

Tudo de matéria!..

E o invisível?!.

E o espiritual?!.

Quem me afirma que não existe?!!

O referencial auto-existente

Aquele que simplesmente criou o templo!

A bomba “atômica” do coração crente

Absolutamente não existe explicação por razão

Creia pelo Dom espiritual da fé.

 ALMEIDA,Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002

RELIGIÃO E FILOSOFIA : MODERNISTAS

Oh! O que? 
O mundo visível! 
Essas iranianias bestas 
Cascateiros hinduístas ingênuos 
Corpo para nada serve? 
Túmulo da alma?...
Existente  antes antes do corpo?!! 
Corpo não ressuscita?!! 
Quem criou a alma?!! 
Quem formou o corpo?!! 
Se não serve!? Como te serve? 
Tudo que busca é paz! 
Razão existencial 
Propósito original!
Longe tu estás de Deus 
Ausente de verdade 
Tu estás caído!!! 
Tu crês no incognoscível Deus!? 
Por isso não experimentaste o Deus pessoal! 
Tu és escravo da mesquinha energia!? 
Que o doente homem esvazia!!? 
Impotente limitado na mente 
Pressupostos não recebem revelação 
Logo de si mesmo, 
Nunca terás respostas 
Arrisque no que resta! 
Conhecestes 99% do nada! 
O único que não experimentastes é Deus Jeová! 
Só existe um Deus! pessoal!!! 
Sua cultura moderna só pode chegar 
Em 99% Fracassou!...
ALMEIDA, Joel. Túmulo de Roecken. Montes Claros, 2002.

ECÔNOMIA : LEÃO ADORMECIDO

Os cabeças gigantes europeus

Reformadores protestantes das estantes

Fogo dos pensamentos existentes

Meio que domina filosofia

Coração intelectual da humanidade

Velho mundo  adormecido

Os cabeças de prego do Brasil

Também mudaram para lá...

S.O.S. capitalistas americanos

Firmes nesse sistema de algemas

Espetáculo que prostitui grana

Baba Brasil!

Babá Brasil!

Babá clandestina!!!

Baba! Babá! Babá! U$ mil!

Pinturas da universidades

Criadoras de filhos

Que trabalham fora de casa

Ventre que cresce a cada dia

As meninas viram vadias

Os projetos dos crânios...

Lá fora tecnologia...

Olé! Olé! Oh lê!

Se vê, faça valer

Orgulho de sangue indígena

Roubaram uma terra rica

Escravizaram inocentes

E ainda não são independentes

Nossa barriga doe, com comida na panela!

Na desgraça morre nossa poesia...

 

       Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO : VIDACOMPAIXÃO

“Então, fez o SENHOR Deus nascer uma planta, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu desconforto. Jonas, pois, se alegrou em extremo por causa da planta.

Mas Deus, no dia seguinte, ao subir da alva, enviou um verme, o qual feriu a planta, e esta se secou. Em nascendo o sol, Deus mandou um vento calmoso oriental; o sol bateu na cabeça de Jonas, de maneira que desfalecia, pelo que pediu para si a morte, dizendo: Melhor me é morrer do que viver! Então, perguntou Deus a Jonas: É razoável essa tua ira por causa da planta? Ele respondeu: É razoável a minha ira até à morte. Tornou o SENHOR: Tens compaixão da planta que te não custou trabalho, a qual não fizeste crescer, que numa noite nasceu e numa noite pereceu; e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?” (Jonas 4:6-11)

 

O que quiser ganhá-la,

Perdela-á...

Quem perdê-la,

Ganhala-a...

Não tenho compaixão?

Pois a tenho negado?

Vive-la não seria uma

Expressão de compaixão?

Quem é mais hostil?

Aquele que à abandona aqui?

Ou quem quer reciclá-la?

Um pouco! Tenho um vislumbre!

Cristo é a vida!!!

“Ser médico,

Aqui  inexorável,

Usar a faca,

Pertence a nós...

Nosso modo de amar ao homem

Nisso somos filósofos – hiperbóreos!!!”

Ah! Agora para mim ela é virtude?

E se não a sinto pelo próximo?

E sou doente dela na esfera doente de Jonas

Quer dizer!? Que!? Não estou doente?

Preservá-la em si, não é compaixão?

O atentado contra, uma proteção recheada

De compaixão?

Compaixão – a grande virtude  não é,

Nosso aspecto problemático está no sermos homens...

Quando falo em lei de seleção, eu a faço!

Disseste bem: “ Que mentira é a igualdade!”

Cristo disse: “Quem quiser ser o maior ,

Seja o menor” ah! Não! Não! Não era comunista!

A vida quer viver – tenha compaixão.

Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

REFORMA ORTOGRAFICA: DESGASTE E GASTE

Oh, equivoco doloroso

Instinto humano venenoso

Atraso no reconhecimento

Minha grande condenação

Não uso do francês ou latim

O decadente português!

Expressão, não

De desprezo!

De desespero!

Desconhecido nas universidades?

Isso não me destacará

A língua esta morta!

Insignificante!

Insegura desvalorizada

Oh! Como já falou!

Ficou muda!

Oxalá o verbo

Que tanto preserva!

Mudo a muitas décadas!..

Está estéril

Ahhh! De filhos brasileiros!

Prostituta de estrangeiros!

Traduções tortas

Adaptações portugas

Expressões apagadas

Distantes da cultura nacional

“Herry Pata e a pedra filosoval”

 Repetições  em desuso usados

Ensinos de magia sem mágica

Olha que é vende para burro

Desgraça da pedra lascada

Horrendas frases desgastadas são gastas

Onde entra a realeza das minhas frases?

 Já desprezadas?

Vilipendiadas?..

Morte x textos empobrecidos

Tche meu amanhã,

Escreverei em inglês ou chinês?

 

      Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

FILOSOFIA MODERNA: ESTÁTUA DE KRAMER

No túmulo de Roecken

Enterraram a tragédia

Nem mesmo, nasceu mesmo!?

Quem condenou o ”gênio” Jesus?

Que pagou o preço

Demostrou a verdade, mesmo a sendo!

E o Anticristo?

Traçou um paralelo!

Cego de corpo e alma

Preso a apoplexia

Cérebro oficina de alucinaçaõ

‘'Cosima Wagner!!

Adriadne, eu te amo!

Brandes o crucificado!

Hospício-Dionisío”

Das gotas de sangue de cristo

Ao anticristo de mente desequilibrada

 Destroçada, débil e resignada a nada

Quem gosta

Bom paralelo

Preço do reconhecimento do ideal

Sangue por uma causa eterna!

Existe a esperança

Se não seriamos os mais miseráveis dos homens

Esperando de cristo só nesta vida

A loucura por uma loucura,

É totalmente diferente!

Não merece confiança!!!

Perda da lucidez

Pela estátua de Kramer

Em fim.

O claro pelo escuro

O homem  mais miserável do mundo!!!

Condenou a si mesmo

Por um lugar na galeria dos heróis da terra

Existe um Deus Todo-poderoso!

Nada significa o Túmulo de Roecken.

                 Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

BIOLOGIA : RETARDAÇÃO EXPLICAÇÃO

(não explico)

 ... dois gases

os átomos...

os macacos...

...homens??!

quando os orangotangos do Arizona viviam em harmonia e felizes...

só que resolveram ser homens

revelaram egoísmo e disputa

guerras e códigos de leis...

 reprimindo o animal o animal?!!!

... que não-civilização?

 ah! Ah! Surgiram espontaneamente!

Logo tudo se acha em ordem?

A dependência de uma espécie,

De outra, claro!

Através de estágios minuciosos,

 Não geraria confusão?!!

Porque bem definidas?

Oh! E agora darwin!?!

Cães continuam cães...

Macacos-macacos...

Homens- homens...

Qual é o exemplo de transformação?

Eu quero fatos!

O resto é conversa de vagabundos!

Diga-me a história!

Como pode ser um fato?

Ah! Não Deus! Morbidez intelectual!

Não sou filho de chipanzé!

De labirinto de leis desconhecidas

Bola de sabão casual

Que  é uma espécie??!

Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

FILOSOFIA : MAIOR REVELAÇÃO

Onde está o centro da gravidade da vida?

Disse Jesus:

Eu sou o caminho

A verdade e a vida!

Falou Zaratustra:

“Se se põe o centro da gravidade da vida,

Não na vida!

Mas lá no além, no nada!

Tirou-se da vida toda gravidade!”

Disse Jesus:

Quem crê em mim, não provará a

Morte, mas viverá eternamente, eu

Sou a vida!!!

Fala Zaratustra:

“Viver de tal modo,

Que não tem mais nenhum sentido

Viver, esse se torna agora o sentido da vida...”

Não são argumentos tolos?

Referindo-me  a Zaratustra!

Se disse Cristo ser a própria vida?

Está ilógica a fé cristã?

Ou sua filosofia que fugiu

Ao raciocínio lógico do pensamento cristão??!

Não está este a falsificando?

Fortalecendo seus argumentos?

Não é uma decadente mentira?

Se fugiu a lógica sublime da ciência!!!

Raciocínios desequilibrados, desarmoniosos!!!

Não exaltei Sócrates! Risos!

Um doido qualquer das ruas!!!

Perseguiria o raciocínio da doutrina cristã

Sua resposta seria na “Eternidade”

Se a existência é eterna

Se Jesus é a vida, como cremos!

Sua resposta seria sábia

Como sempre as considerei

O centro da gravidade está na vida?

Quem é a vida?

Se cremos na eternidade!

Onde está toda gravidade da

vida? Onde devemos colocá-la?

Ah! Que dó!!!

Ele não pensava logicamente,

Apenas defendia sua causa...

Se não revelaria a maior verdade!  

 

   Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

FEMINÍSMO E RELIGIÃO : DIGNA HUMILDADE

Parece-me inconcebível

Disseminação de igualdade

Não foi, nem será...

Originalmente fundamentada em Cristo!

“E as honras aos nobres e reis?

Obediências dos servos aos senhores?

“Submissão” das mulheres aos maridos?

“Dai honra a quem é digno de honra?

“O menor aqui, será maior no meu reino?

Como poderia, assim seguindo...

Quem masculinizou a mulher?

Tirando-lhe o que lhe é mais excelente

Colocando-a em busca de direito de domínio?

Ninguém entra em guerra por igualdade!

O conceito será falso se assim for!

Quem roubou meu direito particular?

Não está dentro do respeito ao todo?

O único soma,

No corpo, faça parte dele!

Um é o cabeça,

Outros olhos, outra boca, pés...

Liberdade de direito particular

Harmonia no corpo,

Ou teremos anarquismo!!!

Que não tolera o cristianismo!

Que gerou o verdadeiro valor do respeito!

Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

FILOSOFIA E SEXO : FASCINADAS PAGÃS

Os espíritos cépticos

Fascinados pelo esotérico

Medem forças com fracos

Desequilibrados nas convicções!

Com fatos mas mãos,

Querem provar a verdade

Como se eu fosse obscuro de não provar

Uma conclusão do absoluto

Não provam, estão nos limites

Rasgando o véu da mente

O universo tornou-se insuportável

Quando um homem,

Se referiu a verdade

Dizendo que lhe causaram dano!

Como se ela dependesse de mártires!!?

O que daria  homem em troca de sua vida?

“Alterou-se algo no valor de uma causa”

Morrendo novo

Louco de juízo

Esfrangalhou a mente

“Alguém por ela deixou sua vida”

Filosofia!!! Exagerou a razão!

Os erros se tornaram sedutores a mais...

Não daria nada os mentirosos!!!

Que pena! Não deixam esperanças!

Tu és o mais miserável dos homens!!!

Zaratustra é um argumento!!?

Argumentos não são provas da verdade!!!

Sangue muito menos à prova!!!

É um testemunho contra a ignorância,

De quem não sabe que se combate a verdade

Só por ela mesma!!!

A cruz é o poder de Deus,

É apenas uma palavra,

“Loucura” para quem perece

Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

POLITICA SOCIAL: DOSE DUPLA

 

O ovo

O pintinho

Franguinho

Galinho

Na panela

No estômago

A céu aberto nas ruas das favelas

Evaporação

No cafezinho do prefeito

No sanitário

Nas lindas praias

Onde banha presidente

O ovo.

      Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

POEMAS : EXEMPLARES BRASIL

 

Exemplos de homens

Que não podem ser esquecidos

Na memória do Brasil

Santos do Avião

Carlos Chagas

Pedro Álvares Cabral

Joaquim José da Silva Xavier 

Marechal Deodoro da Fonseca

Isabel Barbosa

Rui Barbosa

Dom Pedro I e II

Os índios

Os escravos

Os favelados

Os meninos de rua

Deficientes físicos e mentais

Aposentados

Joel Almeida

Jesus Cristo de Nazaré

Etc.

Quase que esqueço!

Ajadja!!!

 

  Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

ANGÚSTIA : ATENTADO

 

Onze de setembro...

Escrevo esse verso!

A existência é crua

Burro conto de fadas

Ficção de paixão de novelas

Não passam de delírios

Ensinam-me ser descontrolado

Quando amo o moderado

Não! Napoleão é um herói?

Sócrates alguém mais...

Kant menos ego...

Hoje escrevo mais filosofias que Platão!

Mais poemas que Fernando Pessoa!

Se danem as Universidades da mediocridade mecânica

E a estúpida ABL!!!

Não quero me assentar na cadeira velha

“ com a boca aberta escancarada cheia de dentes

Esperando a morte chegar”

MEC é igual:

Mercado Europeu Comum!

Vestibular é se vestir de listrado

Para parecer zebra e ser burro!!

Quem diria?

Das canções dos cantores da crua existência!

Então Ajadja escreve sobre o que deveriam ser

E o que não são!

Wagner mais músico, menos  poeta...

Goethe mais lembrado no tempo

Beethoven vivido o eterno!

Schopenhauer outra chance...

Oh! Desespero!

A existência é crua?

Faça o bem hoje

Basta o mal ao seu dia

Ótimo exemplo!!!

A figura Jesus!..

Não funciona mistura... 

Lógica aristotélica, conceito platônico,

Fisíca de Einstein e desespero Nietzschano...

Falam as belezas poéticas

A existência é crua!!!

Minha fé diz sim!

Nós a perdemos!

No primeiro homem!!.

Crueldade é não esperar

Se toda história tem fim...

Seja leal

Mesmo crua

Salada é comida!

Ainda que não goste de tudo!!

Tu fostes criado para provar!

Já provastes de Deus?

Então!?

 

 Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?