quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

POESIA : 20 DE NOVEMBRO : Consciência Negra!

Confesso que não calarei

Calado confessarei

Que consciência?

Quem falou em inglês?

Pobres índios do Brasil!

Poluído oceano brasileiro

Recebe águas vermelhas,

Negras, amarelas, brancas...

Sujeira de todo mundo

Rios de veias exteriores!!!

Consciência Brasil!

Salve sua natureza colorida

Qual é a nossa data?

Qual o nosso nome?

Que cultura complexa!

Não funciona nessa zona

Somos um espelho sujo

Oh! Devido os porcos!

Oh! Sei lá!

Tem porcos da Índia, da África

Alemães misturados em raças...

Todos na mesma liberdade?

Veneradores das mediocridades

Odiadores da excelência

Eleição indecente

Doenças hereditárias européia

Eu sou um povo!!!

Não uma túnica de várias cores

Inconscientemente esses cachorros

Domesticados em chiqueiros

Vêm com aulas de consciência

Ah, não! Aprendi desde cedo!

Eles é que precisam olhar

Cachorros brancos no chiqueiro,

Também não se safam o pêlo,

Ficam manchados de cara

E pêlo, consciência nacional!

Bravo! Bravo!

Somos um só coração no Senhor dos Exércitos

 

                                                   Almeida, Joel. Túmulo de Roecken, 2002

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?