quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

POESIA : GOZO DE FRUSTRAÇÃO

Quem a mim mentiu

Organizou-me ao reverso

Desprezou minha arrogância

 

Os rubis gregos

Esculturas palacianas

Escondidas no seu ser

 

Fingi não sentir

Ornamentei-a de pétalas

Triste gozo da existência

 

Chaga sangrenta

É sofrer sem esperança

Um amargo de desconfiança

 

Entre linhas da realidade

Estão selos secretos da vaidade

Angústias negras dos olhos

Amor que não consigo amar.

                 Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?