quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

POESIA : JOGANDO DARDOS

Oh! Os loucos de deus natureza

O tolo que transa com ratos

Se um me conhecesse

Conversando com as beldades no portão

Assemelhariam-me com Pessoa

Talvez me dissessem que era uma encarnação

Que pena querido!

Considero mais o lixo que suas mentiras

Tanto que nem estão lá!

E daí o que tem!

Prefiro comer pão seco com os favelados

Com eles pelo menos tem risadas

A vida passa como vida

Se existe para ser vivida

Não para jogar dardos

Deus não seria Deus se provasse ser...

Acredite quem quiser

Será Deus do mesmo jeito...

Os cacos velhos somem na terra

Escrevem um ultimo adeus!

      Almeida, Joel. Túmulo de Roecken. 2002

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?