domingo, 1 de março de 2009

POESIA : HISTORIOGRAFIA

Discrepâncias e reversões 
Nada perfeitamente certo 
Concernente à vida 
Fugitivos da história-crônica 
Qual a razão do progresso? 
Minha solução é intelecto-educação? 
Bem! Cheguei vivo na história-ciência 
Sou sócio-antropólogo que aponta diretrizes 
Essa arte mecânica! 
Oh, homem! Não pensa, nem raciocina?! 
Por isso, é arquiteto de problemas! 
Ou seja, eu menino bom?! 
Corri para história total 
Dentro de uma pista redonda 
Girando no estruturalismo 
Passarei a aparência imediata dos acontecimentos 
Resgatarei explicações satisfatórias 
E continuo na inércia mental?! 
Minha gravidade habita meu interior! 
Oh, Marx macaco sociólogo! 
A verdade desmente suas mentiras 
Então regressão não seria a solução??! 
Se evolução vem aperfeiçoando o mal?! 
Os chimpanzés são felizes! 
Não pagam taxas, nem precisam de @.com.br 
Não disputam poços de petróleo 
Não têm no cardápio guerras químicas e biológicas 
Nem constroem dolorosos mecanismos de defesa 
Nova história social! 
Cobiça, deseja coisa 
Resiste o mesmo que deseja a mesma 
Governo de paixão e cobiça 
Quem nega o desejo também deseja 
O desejo de não desejar em si já é um desejo! 
Geração frustração frustrante 
Doença mórbida venenosa 
O bom é dá uma pausa: 
Pare! 
Pense! 
Siga! 
Logo, repartam a maçã! 
Igualmente?! 
Não. 
Conforme a necessidade de cada um de comer! 
Menos para menos! 
Mais para mais! 
Assim é justo 
Resto é uma injustiça 
Falta maior ainda! 
Igualdade um perigo.   
Leia: Êxodo 12-4-16; 16-16: 4
ALMEIDA, Joel. Deliberação. Montes Claros, 2003.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?