segunda-feira, 2 de março de 2009

POESIA : CARA OU COROA

 

Imagino na alma 
Exercer quem sou 
Por que lágrimas? 
Tu estás distante de Deus? 
Tu és o exterminador do futuro de si mesmo? 
Como tu consegues viver longe do Poeta? 
A luz da existência é quente 
Quase gelados remamos 
Deixando arrogância de o pecado falar 
Qual o preço da felicidade? 
Qual é seu jogo de xadrez? 
Vale a pena não acreditar em Cristo? 
Quanto tu ganhas com isso? 
A crença nos faz perdedores? O quê perdemos? 
Existir não é apenas existir sem Ele? 
Qual é seu orgulho vazio? 
Doença não é uma loucura? 
Quem mudará o mundo? 
Nossos heróis estão mortos 
Que é fé? É uma ofensa mortal a razão? 
Escrevo muitas filosofias Talvez, mais do que Descartes 
Quem me lembrará isso? 
E agora? Não serei um velho tolo? 
Cataratas nos olhos... 
Palavras cruzadas no ar 
Não vendo como antes... 
Morto de vigor 
Na cadeira velha da varanda 
Tudo que tenho 
Tudo que fiz 
Tudo que faço 
Tudo que sou... 
Jogo a moeda para o alto 
Só posso apostar em um lado 
Deposito minha fé em Jesus Cristo!

ALMEIDA, Joel. Deliberação. Montes Claros, 2003

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?