segunda-feira, 2 de março de 2009

POESIA:RIBEIRÃO DOCE

 

Oh, meus nervos! 
Ironia do destino 
Saborosa doce Mococa 
Descendo às águas Do Ribeirão Preto 
Sou um lobo do desencontro 
Nunca um passo atrás 
Espero na fila 
As pessoas aqui 
Correm como trem na linha 
Se bem que é carnaval! 
Observo o trânsito 
Aonde irei sozinho? 
Não conheço ninguém! 
Oh! Não tenho telefone! 
Celular é um mito de pobre! 
Antes era só de picaretas 
Agora da massa 
Nas ruas de Coca-Ribeir... 
O negro de outrora 
Está nas mãos das louras 
E dos ruivos cabelos cor de fogo do inferno 
Neste momento espero 
Traçando as últimas linhas 
Espero um grilo me gritar 
Oh, Cristo!

ALMEIDA, Joel. Deliberação. Montes Claros, 2003

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?