segunda-feira, 26 de julho de 2010

EU CORRO

Não preciso ser bom,

Eis aí todos...

Existe uma “pedra no caminho”

Talvez inteligentemente

Que o “poeta é um fingidor”

Quão difícil é acreditar

Que o mesmo continuará

Tosse! Sábio expressar!!!

Como o garoto nascerá?

Só um suficientemente,

Sem mentir, salvará o

Que acabou no caminho...

Correndo a corrida

Preparado para perder

Preparado para vencer

Os prêmios que vêm

As luzes que se apagam

Os gatos que miam

As vacas que berram

E os mortos estão dormindo

Então eu corro

Contra os versos

Corro com os versos

Sem paixão, sem emoção...

Na razão sou filósofo...

Na sensibilidade poeta

Mais que quem é menos...

Menos que quem é mais...

Dois homens divididos em um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?