segunda-feira, 26 de julho de 2010

FERNANDÃO

Meia noite,

Sentado na escuridão

Fernando Pessoa

Lavando as portas

Do “palácio” assombroso

Uns acreditavam que foi,

Inventado para amedrontar

Quase caindo de costas...

“Pescando peixes”

Relâmpagos da imaginação do sono

Deus estava tomando café

Delirando de cansado, Fernandão;

Deixou derramar o sabão

Satanás escorregou

Lama na cara de lúcifer

Quebrou sua dentadura

Os chifres podres despedaçaram

Riso colgate dos anjos

Sua expressão, era de dúzias de limão

Jesus Cristo nem ligou

O telefone do inferno está cortado

Dono enrolado, não pagou a conta

Seus servos da terra, salários atrasados!

Eu creio no Deus chique

Veste seus filhos de calça jeans

Tênis Nike, monta na Kawasaki

Agora essa energia burra dos ateus!!!

E que tudo é deus

Tira do homem a imagem, semelhança

Tornando-o como rato de esgoto!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?