segunda-feira, 26 de julho de 2010

HERANÇA

Aracnóide frustrante do Brasil

Eclosão etimológica inglesa

Vulgar nulidade a nossa cultura

Impoderação da minha proclamação poética

Parca “rapariga” de Portugal

Roque-roque da faminta globalização

Devastadora virose estrangeira

Zinzilularei em nome dessa odisséia

Chamarão-me de leigaço clássico

Envaidecido velho fora do elenco

Prefiro isso, que tolo amnésico

Por um colosso apodrecido numa praça

Essa efervescência unificadora

Miscível é a mais alta expressão de negação

Originário seja nossa sobreeminente linguagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?