segunda-feira, 26 de julho de 2010

SENTE

Um homem diz

Morreu a poesia

Os poetas vivem

A poesia vazia

Lêem pra surdos

Romance sem amor

No fundo do mar

Procuram ouro do passado

Nas profundezas enterrado

Quando vivia a poesia

Rainha das noites e dias

Poeta não existia

Morreu a poesia

O poeta existe

Agora brilha!

Os fatos estão mortos!

Nasceram tarde

Quem morreu vive!

Tragédia cultural

Ninguém lamentou

Amanhã existirá

Poesias mortas

Lente torta

Faculdade capital

Doença intelectual

Mata atual

Insensibilidade animal

Chaga mortal

Veneno fatal

Inteligência real

Fogo imoral

Pimenta com sal

Chocolate sem cacau

Rima com mingau

Mais gostoso

Que estudar fel

Amarga a boca

Confunde a mente

Está gente

Mistura de sangues

Herança deste povo

Brasileiro!!!

Quem tirará?

É nosso!!!

Amor salada de frutas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?