TÙMULO DE ROECKEN: OBRA COMPLETA


Poeta Joel Almeida

2ª edição

Proibida a reprodução, total ou parcial, desta publicação, seja por qual for o
meio, eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa do autor da obra.
Revisão
Regiane Milla da Silva
Capa
Pedro Henrque T. Rêgo
Projeto gráfico e diagramação
Eduardo Fernandes e Regiane Milla da Silva
___________________________________________________________
ALMEIDA, Joel. 1976-
Túmulo de Roecken
/ Joel Almeida. - Montes Claros: 2002. (1ª edição -)
/ Joel Almeida. - Curitiba: 2010.
1. Poesia Contemporânea.
___________________________________________________________
Olá!? Sociedade dos poetas vivos, vamos estocar nos
Museus brasileiros os ossos dos velhos dinossauros que
Existiram por aqui, são relíquias preciosas, vamos agora
Preservar pequenos animais, estão correndo risco de extinção,
Esqueçamos a partir de agora os velhos dinos e apreciemos
Os pequenos vivos. (Joel Almeida)

AGRADECIMENTOS

Agradeço a Deus pela vida das pessoas que amam e são
sensíveis à poesia, que reconhecem seu valor e importância no
que se refere à literatura. Em especial, a algumas pessoas que
estão bem arquivadas em minha memória.


WORLD SHOPPING MARKETING

Cante cantora
Tu não cantas nada!
Fostes influenciada
Herdeira do trono
Sem voz de realeza
As princesas nas favelas
Não apareceram nas telas
Shopping marketing TV.


COM PAIXÃO


Descobri o ser servo
Amo minha mulher
Mata meu amor exterior
Saboreio o desejável
Aborrecido fico com o indesejável
Entre o sagrado e o profano
As portas cegas do pecado
A marca 666 infiltrada na carne suja
Os belos anjos santos
Corrompidos pela corrupção
Eu é que não minto?
Se sou culto, sou cultuado?...
Cheiram meu corpo
Cuspam em meu suor
Título da raça humana
A compaixão me faz fraco?
Ou sou fraco, pois a sinto?
Talvez, seja o forte!?
Se passando por fraco!?
Na existência do sentir
Ou tu a amas ou serás amado
Outros não amam, e são amados
Eu sou amado porque sou bom?
Ou sou bom porque sou amado?
Estamos no jogo dos amantes...
Uns odeiam e outros amam...
Outros têm compaixão de quem
Não a tem!...


CHEQUE MATE


Madrugada fria
Ônibus nas rodovias
Café com pão na mesa
Minha amiga noite
Chego escurecendo
Setenta chegando
Muito tempo aguardando
No mínimo vou morrer
Agora que estou cansado
Fila no INSS...


EU CORRO


Não preciso ser bom,
Eis aí todos...
Existe uma “pedra no caminho”
Talvez inteligentemente
Que o “poeta é um fingidor”
Quão difícil é acreditar
Que o mesmo continuará
Tosse! Sábio expressar!!!
Como o garoto nascerá?
Só um suficientemente,
Sem mentir, salvará o
Que acabou no caminho...
Correndo a corrida
Preparado para perder
Preparado para vencer
Os prêmios que vêm
As luzes que se apagam
Os gatos que miam
As vacas que berram
E os mortos estão dormindo
Então eu corro
Contra os versos
Corro com os versos
Sem paixão, sem emoção...
Na razão sou filósofo...
Na sensibilidade poeta
Mais que quem é menos...
Menos que quem é mais...
Dois homens divididos em um.


QUEIJO DO RATO


Deu na rua errada
Nasceu bastardo chorão
Alguém levará fama
Ratinho de bigode
Acostumado a roer
Todos os pontos de cultura
Inventados nas telas
Novelas das favelas
Homens sem imagens
Orgulhosos personagens.


CARA DO BRASIL


Corrupção no senado
Corrupção na sociedade
Corrupção na faculdade
Corrupção na C.B.F.
Corrupção nos hospitais
Corrupção nas religiões
Corrupção no judiciário
Corrupção no legislativo
Corrupção no executivo
... no coração
... no meu...


20 DE NOVEMBRO


Confesso que não calarei
Calado confessarei
Que consciência?
Quem falou em inglês?
Pobres índios do Brasil!
Poluído oceano brasileiro
Recebe águas vermelhas,
Negras, amarelas, brancas...
Sujeira de todo mundo
Rios de veias exteriores!!!
Consciência Brasil!
Salve sua natureza colorida
Qual é a nossa data?
Qual o nosso nome?
Que cultura complexa!
Não funciona nessa zona
Somos um espelho sujo
Oh! Devido os porcos!
Oh! Sei lá!
Tem porcos da Índia, da África
Alemães misturados em raças...
Todos na mesma liberdade?
Veneradores das mediocridades
Odiadores da excelência
Eleição indecente
Doenças hereditárias européia
Eu sou um povo!!!
Não uma túnica de várias cores
Inconscientemente esses cachorros
Domesticados em chiqueiros
Vêm com aulas de consciência
Ah, não! Aprendi desde cedo!
Eles é que precisam olhar
Cachorros brancos no chiqueiro,
Também não se safam o pêlo,
Ficam manchados de cara
E pêlo, consciência nacional!
Bravo! Bravo!
Somos um só coração no Senhor dos Exércitos



PENSAR?


Tudo pronto
Jornal, revistas, internet...
Como irei pensar?
Não tenho tempo!
3 piores baixarias
Brasil no ranking da fome!
Espetáculos dos programas
De auditório...
A pior de todas, mãe das outras
Como última,
Nossa política.


DE DONO


Venham! Venham!
R$ 10,00! R$ 5,00!
Pipoca na panela
Mãos na flanela
Esquinas das passarelas
R$ 1,00! R$ 2,00! R$ 3,00! R$ 4,00! R$ 5,00?...
Nas salas de programas
Cocaína extravagante
R$ 100,00! R$ 100,00!
Aqui! Aqui!
Turistas nº. 1
Ah, que dignidade
Onde não existe
Igualdade e mentira
Falsa democracia
Minha moral fria
Esmaga cautela
Falo aos surdos
Tenho boca grande
Canto para cegos
Converso com mudos
Humildemente penso...
Quem dera, um daqueles
Sujeitos que pisam nessa terra
Vivem numa época difícil
Mesmo assim,
Realizam proezas
Aqui ninguém é dono!



SELO FALSO


Ramon me disse
Eu disse a Ramon
Deus está vendo!
Deus Vendo?
Não balance a cabeça
É moda ser crente
Como ir ao shopping
Religião está lá
Nas prateleiras
Vitrines enfeitadas
O nome Jesus!
Coitado do petróleo
Doente mercado de carros
Daqui uns dias!
Na Bolsa!
Oh! Claro! Valores!!!
Querido meu...
Jesus é a verdade
Eu creio nele
Não nesse selo falsificado
Objeto de exploração da religião
Não me envergonho em ser cristão
Meu veneno é dessa corrupção
Que fazem de Cristo sabão
Até mesmo na Lapa
Usado para lavar as mãos.



GOZO DE FRUSTRAÇÃO


Quem a mim mentiu
Organizou-me ao reverso
Desprezou minha arrogância
Os rubis gregos
Esculturas palacianas
Escondidas no seu ser
Fingi não sentir
Ornamentei-a de pétalas
Triste gozo da existência
Chaga sangrenta
É sofrer sem esperança
Um amargo de desconfiança
Entre linhas da realidade
Estão selos secretos da vaidade
Angústias negras dos olhos
Amor que não consigo amar.



VAZIOS DE SI


Muitos poetas estão delirando
Vazios de inspiração
Desenham tolices!!!
Nunca lerei esses caras
Pensem, ahh cabeçudos!!!
Cérebros de “macacos”
Sou criação...
Não surfo em ondas de evolução
Poesia que não tem sentido?
Até tem sentido!
Qual?
Sentido de não valer nada!
Não valem a pena
Coitadinhas sem críticas
Os mortos nunca foram os melhores
Quero ver se são!
Só na escola dos burros!!
Na minha não tem vez
Estão em segundo plano
Os nobres vivos não falharão.



MURO DE BERLIM


Os chineses são...
Os japoneses são...
Os alemães são...
Os brasileiros são...
Vamos explodir
Entulhos nos chão
Do muro de Berlim
Envolve toda sociedade
Muro de barro negro
E argila branca
No muro de Berlim
Pintado de negro por fora
De branco por dentro
Pichado de preto nas favelas
Pelos cineastas
Divide o universo de cores
Que alegria!
Ele está muito velho
Apodrecido nas religiões
Berço de muitas desuniões
Hebreu de hebreus
Fariseu de fariseus
Muçulmanos e cristãos
Levantaram dentro de si,
O muro de Berlim!
Eu odeio o muro de Berlim!
Que está a frente dos meus poemas!...



DEMÔNIO DA SENHORA JAN


O contágio sempertino
Construído no seio do Éden
Caiu dançando carnaval
Na caverna da serpente
Mentirosa, astuta, prostituta...
Foge da bondade
Bebe sangue como água
Sedutora das nações
Dos obstinados governantes
Pactuados com satanás
O espírito da senhora Jan
Conspiradora das águas
Manja_Yema Sariema
Perna de pirata
Rapariga das macumbas
Rainha dos pescadores
Aparecida nas telas
Protetora dos fracos
Cure a si mesma!
Lenda nordestina!!!
Morrem de fome seus filhos
Vagalumes! Vaga! Vaga! Vadia!
Vem noite! Vem escuridão! Não vê!
Pará, Belém não fala
Seus ouvidos não ouvem
Nossos estados unidos
Minha fé
Nunca será chiclete de mascar
Não cola em imagem!



DIOS DESCONHECIDO


De uno solo Hizo
Todo el linaje de los hombres
Para que habitarem em toda la tierra
Porque en él vivimos
Y nos movemos Y existimos
“ como dizem Alguns dos vossos poetas”
El Dios que Hizo el mundo
Y todo lo hay en Él
Ni es honrado por manos de hombres
En todo lugar Que se arre pietan
Para que busquema Dios
Todos los sedientos
ver Atos 17



MEU CACHORRINHO


Meu cachorrinho
Late muito!
Vira lata! Vira! Vira!
Vira! Vira lata!
Revira! Revira! Revira!
Revira e volta! Reviravolta! Revolta!
Volta! Revira! Revolta!
Bate! Vira lata! Bate apaixonado!
Vira lata! Vira-lata!
Ana! Ana! Revela! Revê-la!
Revela outra! Revolta! Rever!
Paixão! Paixão! Colherá no chão!
Paixão torta! Tortura meu cachorrinho!
Late! Revolta! Revólver!
Vira lata! Mata! Revolta! Revela!
Meu coração...



MEDO CRUCIFICADO


Uma palavra no ar
Tom, som, voz
Anúncio nos céus
Eu irei!
Bravamente lutarei
O chão coberto de flores
Lágrimas sobre o caixão
Sorriso largo do morto
Corpo transformado
Decompõe-se, compõem-se em glória
Amor chorarei
Se o crucificarei
O meu não deu respostas
A dor tortura
Por isso querem paz
O medo dela...
Na mente, na alma e nos sonhos
Gosto de ser livre, não tenho medo!
Escravos não acreditam
Liberdade aqui parece fuga
Apenas a assistimos
Nasci como um pássaro
Carreguei jugos da humanidade
Não entendo nossa razão
Nunca encontra quem busca...



INOCÊNCIA E PECADO


Que adolescência
historinha nos ouvidos
Ouça filho! Fala pai!
Idos atrás
No castelo eterno
O poderoso rei
Cheio de pedras preciosas
Construiu seu jardim
Frutos deliciosos
Entregou-os seus filhos
Que foram enganados
Pelo príncipe inimigo
Tornou-se dono de tudo
O que aconteceu?
Escravizou os criados!
Colocou sobre eles jugos?
Cegou seus olhos!
Tirou-lhes a paz da alma
Passou a espancá-los! Matá-los!
Esqueceram-se do rei
Tudo que aprenderam desse
Amor com que os amou
Aprenderam mentiras! Mentir!
Chicotadas! Chicotadas!...
Ah não se importam com...
Caíram! Muito feio!
O coração de David
Como está triste!
Seu exército está disposto a lutar
Trazer de volta o reino?
Ah, ah, ah! Porém, rejeitou o rei.
Plano elaborado
Que ultrapasse o real
Cogitou bem em sangue
Amor deve ser provado!
Vale mais que todos os exércitos
Que lutam por obrigação
Enviou seu filho!
Único! Amado meu!
Tudo de mais belo
Assim acreditarão?!
Lutará até a morte
Morrendo na batalha acreditarão
Serão os herdeiros
Quando voltar acaba tudo...
Muitos já estão com o inimigo.



S.O.S ENGANADO


No namoro enganado
Casado enganado
Partiu para outra enganada
Outro do seu lado
Ele no outro lado
... enganado
O outro ao lado!
Herdeiro danado
Morreu também enganado
Outro ao lado...



JOGANDO DARDOS


Oh! Os loucos de deus natureza
O tolo que transa com ratos
Se um me conhecesse
Conversando com as beldades no portão
Assemelhariam-me com Pessoa
Talvez me dissessem que era uma encarnação
Que pena querido!
Considero mais o lixo que suas mentiras
Tanto que nem estão lá!
E daí o que tem!
Prefiro comer pão seco com os favelados
Com eles pelo menos há risadas
A vida passa como vida
Se existe para ser vivida
Não para jogar dardos
Deus não seria Deus se provasse ser...
Acredite quem quiser
Será Deus do mesmo jeito...
Os cacos velhos somem na terra
Escrevem um último adeus!


HOMEM DE NEGOCIO


Sujeito elegante
Coberto de ornamentos brilhantes
Respira o ar da glória
Voz mansa e suave
Roupas finas
Anda atraentemente
Palavras conquistadoras
Expressando sublime saber
Sábio em conceitos
Perfeito nos negócios
Com um beijo
Ganha os corações das lindas mulheres
Ensoberbecido é o garotão!!!
Desvenda mistérios dos velhos
Demonstra filosofias aos eruditos
Conhece as profundezas!!!
Nas páginas dos livros
Os feitos heróicos
Honrarias no peito
Filho da Alva
Mestre em história
...Nasceu primeiro...caiu primeiro!
Subiu do abismo
Está aqui
Crescendo seu mercado
Preso no tempo e no espaço humano


MÁXIMO COMUM DO PÃO


Ontem comi pão
Passei manteiga
Tomei café quente
Alguém foi grato a mim
Não explorei ninguém
Um plantou, outro comprou
E os dois ganharam
Tornei-me um indivíduo?
O que devo então à sociedade?
Os valores que a constrói ?
Só se não ferirem o particular?
Não somos nada em comum!!!
Quem disse ser essa doutrina de cristo?
O Marx era um invejoso!!!
Os pobres!?!
Sempre os tendes convosco!
Disse Jesus:
_ Zaratustra morreu ontem!
Enterram-no no fundo da prefeitura!..
Era um pobre mendigo idealista...
Pão deve ser repartido para todos!
Faz apenas o social existir,
Vida ultrapassa essa linha...
São coisas insignificantes significantes
Tenha o bastante
Amontoe o máximo
Domine até onde puder
Respeitando os valores da vida
Não destrua o direito
Não somos iguais...
Sem suor,
Preguiçoso não é digno de pão
Ah!! Até as árvores não são...
Eu sou original.



INTERPRETAÇÃO OPINIÃO


Quem é digno aqui?
Onde entra minha opinião?
Qual a respostas dos ateus?
Os ingratos são ignorantes
Se não oferecem sacrifícios a Deus?
Para que sacrifício?
Já não sacrificaram um?
E esses Nietzsch...anos insensatos!??
Quem falou em nobreza?
Oh! Rapaz-rapaz! Pare!
Pense um pouco no louco
Nasceu fazendo...na frauda!
Xixi nos panos...
Não seria algo específico o nazareno?
Mesmo que seja a pior mentira?
Dizem que nasceu diferente
Não veio de esperma
Não teve sangue do humano
Nem moradia suspeita de orgulho!
Porém, aprendeu ser homem
Tornou-se o mais digno de orgulho!
Respeitou os direitos e leis
Recebeu uma antítese
Passaram-no por ladrão
Na cruz um verdadeiro nobre
Perguntou-lhe um homem duvidoso
Que é a verdade???
Sabiamente não respondeu!
Entra a opinião
A verdade não responde!!!?
É interpretada!!!?



AMARGO DESGOSTO


Os deuses são antigos
Nascem na imaginação
Morrem nas culturas mortas
Operam sem poder
Salvam se não tem salvação?
Recebem ofertas!!!
Os deuses de tribos
Objetos das mentes doentes!
Eu não preciso de um deus...
Sendo EU SOU mais Deus do que eles!!!
Deus já me tem
Eu o tenho!!!
Raciocinarei e questionarei
Esses hindus tolos
Fora o muro tá!!?
Servem de péssimo exemplo de humilhação
E o que impregna os budistas
Além do deus natureza e a multidão
De estátuas santas de Roma!
Não usarei de comparação?
É uma ofensa a Deus!
O modelo dele foi homem!!!
Escarnecido, zombado, pisoteado...
Provou a morte, nossa maior angústia!!!
Desespero, solidão e injustiça...
E os exaltados tribais???
Quem são eles?!
O Deus-homem superou o insuportável
A pior ofensa moral!!!
Se comparou ao homem
Amargoso desgosto ao ego
Isso o faz Deus para mim
Eu amo esse exemplo de Cristo.



RICKS AMERICAN


Pirataria capitalista americana
Globalização que gera grana
Escravos oprimidos deprimidos
Servos baratos dos afazeres
Zerados das sublimes idéias intelectuais!!!
Poder das riquezas
Ventre nojento das guerras
O mal cheiro reinante das mentes
Inquietação asfixiante da alma
Ganância intolerante
Entre formigas e elefantes
Induz revoltas para igualdades
Que é uma ofensa sangrenta
A verdadeira liberdade
Existirá justiça social
Quando esfrangalharmos esse ideal
Socialismo equacional afinal!
Esperança que engana com fome
A barriga que espera justiça social...
Eu não quero ser medíocre
Tornando-me igual
Quando ético dou vida a justiça
Lanço fora a preguiça
Bano a inveja, podre vergonha...
Esperança ganha o solo
Significado o excelente potencial!!.
E a necessidade se torna simples
O Deus do impossível mesmo..
Não essa escora velha que vejo
Que me impossibilita desenvolver o talento
De um ser criado independente
Se tinha livre-arbítrio!
Amarrado ficou dependente
Da doença mental medieval
Conjunto universal religioso
Estrumo da religião
Que perderam o alvo
Cada um criou seu Deus
Outros a si mesmos deuses...
Encheram o caminho Cristo
De lixo, entulhos e podridão...
Dificultando o rumo eterno
Para santo Deus
Hoje se perdem
No sensual e na máquina-de-lucro



MATRONAS FEMINISTAS


Tu és uma mulher?
Venha que sou um homem!
Que feminismo eufórico
Que te faz homem
Masculinfeminina solteirona!
Enlouquecestes, meu bem!?
Emacipadona, dona lésbica
Não tens prestígio de feminilidade
Onde está teu fogo de maternidade?
Tua sensibilidade que te faz mulher?
Tornastes seca, sedutora machona!
Já não tens a essência sensual...
Oh! Objeto de uso perigoso
Trem explosivo de machão
Comes a frescura na cama
E dizes que a ama???!
Só homem irá resgatá-la
Na verdade incluso Jesus
Eu suspeito,
Desse teu jeitão de homem
Se tu és mulher!!
DOR DE SCHOP
Pensou protejê-la
Idos Schopenhauer
Que pena de morte!
Levou sua existência
Ele a viu nua
Deitada sobre uma pedra
Tomando banho de cachoeira
Comendo de todas as frutas
Lendo os bons livros
Desgostoso ficou...
As dores do mundo
Enforcou-se com beleza
E o filósofo?
Talvez o poeta!
Quem a conhece melhor?
Convive com a miséria...
Sentimentos do coração
Dor, amor, tristeza, angústia, paixão e o medo da própria morte...
Uma lista que a constrói
Molda versos incomparáveis
A razão declara tudo?
Nietzsche!!! E o herói Schop...
Quem destruiu o mesquinho?
Essa o matou!
Dor, a dor, a dor, dor, dor, dor, dor de Schop...
Eu a conheço bem!
Também conheço alguém
Que a conhece melhor
Ensinou-me que nossa força
Consiste em sermos fracos...



ATENTADO


Onze de setembro...
Escrevo esse verso!
A existência é crua
Burro conto de fadas
Ficção de paixão de novelas
Não passam de delírios
Ensinam-me ser descontrolado
Quando amo o moderado
Não! Napoleão é um herói?
Sócrates alguém mais...
Kant menos ego...
Hoje escrevo mais filosofias que Platão!
Mais poemas que Fernando Pessoa!
Se danem as Universidades da mediocridade mecânica
E a estúpida ABL!!!
Não quero me assentar na cadeira velha
“ com a boca aberta escancarada cheia de dentes
Esperando a morte chegar”
MEC é igual:
Mercado Europeu Comum!
Vestibular é se vestir de listrado
Para parecer zebra e ser burro!!
Quem diria?
Das canções dos cantores da crua existência!
Então, Aja-Dja escreve sobre o que deveriam ser
E o que não são!
Wagner mais músico, menos poeta...
Goethe mais lembrado no tempo
Beethoven vivido o eterno!
Schopenhauer outra chance...
Oh! Desespero!
A existência é crua?
Faça o bem hoje
Basta o mal ao seu dia
Ótimo exemplo!!!
A figura Jesus!..
Não funciona mistura...
Lógica aristotélica, conceito platônico,
Fisíca de Einstein e desespero Nietzschano...
Falam as belezas poéticas
A existência é crua!!!
Minha fé diz sim!
Nós a perdemos!
No primeiro homem!!.
Crueldade é não esperar
Se toda história tem fim...
Seja leal
Mesmo crua
Salada é comida!
Ainda que não goste de tudo!!
Tu fostes criado para provar!
Já provastes de Deus?
Então!?



EXEMPLARES BRASIL


Exemplos de homens
Que não podem ser esquecidos
Na memória do Brasil
Santos do Avião
Carlos Chagas
Pedro Álvares Cabral
Joaquim José da Silva Xavier
Marechal Deodoro da Fonseca
Isabel Barbosa
Rui Barbosa
Dom Pedro I e II
Os índios
Os escravos
Os favelados
Os meninos de rua
Deficientes físicos e mentais
Aposentados
Joel Almeida
Jesus Cristo de Nazaré
Etc.
Quase que esqueço!
AJADJA!!!


DOSE DUPLA


Vi papai fumando
Fumei também
Eu o vi bebendo
Fui ao barzinho beber
Ele cheirava cola e eu...
Comprava cocaína
Experimentei!
Heroína veio de Rebook
Comprei o passe do crack
Tornei-me dependente
Meu pai morreu
De overdose...
Viciado fiquei
Em poucos dias
Talvez morrerei também
De overdose!



O OVO


O ovo
O pintinho
Franguinho
Galinho
Na panela
No estômago
A céu aberto nas ruas das favelas
Evaporação
No cafezinho do prefeito
No sanitário
Nas lindas praias
Onde banha presidente
O ovo.



FASCINADAS PAGÃS


Os espíritos cépticos
Fascinados pelo esotérico
Medem forças com fracos
Desequilibrados nas convicções!
Com fatos nas mãos,
Querem provar a verdade
Como se eu fosse obscuro de não provar
Uma conclusão do absoluto
Não provam, estão nos limites
Rasgando o véu da mente
O universo tornou-se insuportável
Quando um homem,
Se referiu a verdade
Dizendo que lhe causaram dano!
Como se ela dependesse de mártires!!?
O que daria homem em troca de sua vida?
“Alterou-se algo no valor de uma causa”
Morrendo novo, louco do juizo...
Esfrangalhou sua mente de filósofo!
“Alguém por ela deixou sua vida”
Filosofia!!! Exagerou a razão!
Os erros se tornaram sedutores a mais...
Não daria nada os mentirosos!!!
Que pena! Não deixam esperanças!
Tu és o mais miserável dos homens!!!
Zaratustra é um argumento!!?
Argumentos não são provas da verdade!!!
Sangue muito menos à prova!!!
É um testemunho contra a ignorância,
De quem não sabe que se combate a verdade
Só por ela mesma!!!
A cruz é o poder de Deus,
É apenas uma palavra,
“Loucura” para quem perece



DIGNA HUMILDADE


Parece-me inconcebível
Disseminação de igualdade
Não foi, nem será...
Originalmente fundamentada em Cristo!
“E as honras aos nobres e reis?”
Obediências dos servos aos senhores?
“Submissão” das mulheres aos maridos?
“Dai honra a quem é digno de honra?”
“O menor aqui, será maior no meu reino?”
Como poderia, assim seguindo...
Quem masculinizou a mulher?
Tirando-lhe o que lhe é mais excelente
Colocando-a em busca de direito de domínio?
Ninguém entra em guerra por igualdade!
O conceito será falso se assim for!
Quem roubou meu direito particular?
Não está dentro do respeito ao todo?
O único soma,
No corpo, faça parte dele!
Um é o cabeça,
Outros olhos, outra boca, pés...
Liberdade de direito particular
Harmonia no corpo,
Ou teremos anarquismo!!!
Que não tolera o cristianismo!
Que gerou o verdadeiro valor do respeito!



MAIOR REVELAÇÃO


Onde está o centro da gravidade da vida?
Disse Jesus:
Eu sou o caminho
A verdade e a vida!
Falou Zaratustra:
“Se se põe o centro da gravidade da vida,
Não na vida!
Mas lá no além, no nada!
Tirou-se da vida toda gravidade!”
Disse Jesus:
Quem crê em mim, não provará a
Morte, mas viverá eternamente,
Eu sou a vida!!!
Fala Zaratustra:
“Viver de tal modo,
Que não tem mais nenhum sentido
Viver, esse se torna agora o sentido da vida...”
Não são argumentos tolos?
Referindo-me a Zaratustra!
Se disse Cristo ser a própria vida?
Está ilógica a fé cristã?
Ou sua filosofia que fugiu
Ao raciocínio lógico do pensamento cristão??!
Não está este a falsificando?
Fortalecendo seus argumentos?
Não é uma decadente mentira?
Se fugiu a lógica sublime da ciência!!!
Raciocínios desequilibrados, desarmoniosos!!!
Não exaltei Sócrates! Risos!
Um doido qualquer das ruas!!!
Perseguiria o raciocínio da doutrina cristã
Sua resposta seria na “Eternidade”
Se a existência é eterna
Se Jesus é a vida, como cremos!
Sua resposta seria sábia
Como sempre as considerei
O centro da gravidade está na vida?
Quem é a vida?
Se cremos na eternidade!
Onde está toda gravidade da
vida? Onde devemos colocá-la?
Ah! Que dó!!!
Ele não pensava logicamente,
Apenas defendia sua causa...
Se não revelaria a maior verdade!



DEUSES INVENTADOS


Serão invenções?
Construíram uma idéia
Germinou-nos do solo?
Quando morriam vazios
Inventaram o sexo?
Depois vieram os filhos?
Casaram-se como refúgio?
Depois começaram matando uns aos outros
Amor a bordo!
Próxima invenção
Para tristeza o sorriso?
Desconforto o conforto?
Salva-nos o clone!
De princípio os deuses...
Já que Deus não existe,
Qual o próximo pretexto?
Consequentemente somos soma de pretextos?
Fora do contexto do velho Deus?
Ache-se no texto,
Cristo.
Todo-poderoso!



RETARDAÇÃO EXPLICAÇÃO


(não explico)
... dois gases
os átomos...
os macacos...
...homens??!
quando os orangotangos do Arizona viviam em harmonia e felizes...
só que resolveram ser homens
revelaram egoísmo e disputa
guerras e códigos de leis...
reprimindo o animal o animal?!!!
... que não-civilização?
ah! Ah! Surgiram espontaneamente!
Logo tudo se acha em ordem?
A dependência de uma espécie,
De outra, claro!
Através de estágios minuciosos,
Não geraria confusão?!!
Porque bem definidas?
Oh! E agora darwin!?!
Cães continuam cães...
Macacos-macacos...
Homens- homens...
Qual é o exemplo de transformação?
Eu quero fatos!
O resto é conversa de vagabundos!
Diga-me a história!
Como pode ser um fato?
Ah! Não Deus! Morbidez intelectual!
Não sou filho de chipanzé!
De labirinto de leis desconhecidas
Bola de sabão casual
Que é uma espécie??!



ESTÁTUA DE KRAMER


No túmulo de Roecken
Enterraram a tragédia
Nem mesmo, nasceu mesmo!?
Quem condenou o “gênio” Jesus?
Que pagou o preço
Demostrou a verdade, mesmo a sendo!
E o Anticristo?
Traçou um paralelo!
Cego de corpo e alma
Preso a apoplexia
Cérebro oficina de alucinaçaõ
“Cosima Wagner!!
Adriadne, eu te amo!
Brandes o crucificado!
Hospício-Dionisío”
Das gotas de sangue de Cristo
Ao anticristo de mente desequilibrada
Destroçada, débil e resignada a nada
Quem gosta
Bom paralelo
Preço do reconhecimento do ideal
Sangue por uma causa eterna!
Existe a esperança
Se não seríamos os mais miseráveis dos homens
Esperando de Cristo só nesta vida
A loucura por uma loucura,
É totalmente diferente!
Não merece confiança!!!
Perda da lucidez
Pela estátua de Kramer
Em fim.
O claro pelo escuro
O homem mais miserável do mundo!!!
Condenou a si mesmo
Por um lugar na galeria dos heróis da terra
Existe um Deus Todo-poderoso!
Nada significa o Túmulo de Roecken.



DESGASTE E GASTE


Oh, equívoco doloroso
Instinto humano venenoso
Atraso no reconhecimento
Minha grande condenação
Não uso do francês ou latim
O decadente português!
Expressão, não
De desprezo!
De desespero!
Desconhecido nas universidades?
Isso não me destacará
A língua está morta!
Insignificante!
Insegura desvalorizada
Oh! Como já falou!
Ficou muda!
Oxalá o verbo
Que tanto preserva!
Mudo há muitas décadas!..
Está estéril
Ahhh! De filhos brasileiros!
Prostituta de estrangeiros!
Traduções tortas
Adaptações portugas
Expressões apagadas
Distantes da cultura nacional
“Herry Pata e a pedra filosoval”
Repetições em desuso usados
Ensinos de magia sem mágica
Olha que vende para burro!
Desgraça da pedra lascada
Horrendas frases desgastadas são gastas
Onde entra a realeza das minhas frases?
Já desprezadas?
Vilipendiadas?..
Morte x textos empobrecidos
Tchê! meu amanhã,
Escreverei em inglês ou chinês?



VIDACOMPAIXÃO


“Então, fez o SENHOR Deus nascer uma planta, que subiu
por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a
fim de o livrar do seu desconforto. Jonas, pois, se alegrou em
extremo por causa da planta.
Mas Deus, no dia seguinte, ao subir da alva, enviou um
verme, o qual feriu a planta, e esta se secou. Em nascendo o sol,
Deus mandou um vento calmoso oriental; o sol bateu na cabeça
de Jonas, de maneira que desfalecia, pelo que pediu para si a morte,
dizendo: Melhor me é morrer do que viver! Então, perguntou Deus
a Jonas: É razoável essa tua ira por causa da planta? Ele
respondeu: É razoável a minha ira até à morte. Tornou o SENHOR:
Tens compaixão da planta que te não custou trabalho, a qual não
fizeste crescer, que numa noite nasceu e numa noite pereceu; e não
hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há
mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a
mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?” (Jonas
4:6-11)
Quem quiser ganhá-la,
Perdela-á...
Quem perdê-la,
Ganha-la-á...
Não tenho compaixão?
Pois a tenho negado?
Vivê-la não seria uma
Expressão de compaixão?
Quem é mais hostil?
Aquele que à abandona aqui?
Ou quem quer reciclá-la?
Um pouco! Tenho um vislumbre!
Cristo é a vida!!!
“Ser médico,
Aqui inexorável,
Usar a faca,
Pertence a nós...
Nosso modo de amar ao homem
Nisso somos filósofos – hiperbóreos!!!”
Ah! Agora para mim ela é virtude?
E se não a sinto pelo próximo?
E sou doente dela na esfera doente de Jonas
Quer dizer!? Que!? Não estou doente?
Preservá-la em si, não é compaixão?
O atentado contra, uma proteção recheada
De compaixão?
Compaixão – a grande virtude não é,
Nosso aspecto problemático está em sermos homens...
Quando falo em lei de seleção, eu a faço!
Disseste bem: “ Que mentira é a igualdade!”
Cristo disse: “Quem quiser ser o maior ,Seja o menor”
Ah! Não! Não! Não era comunista!
A vida quer viver – tenha compaixão.


LEÃO ADORMECIDO


Os cabeças gigantes europeus
Reformadores protestantes das estantes
Fogo dos pensamentos existentes
Meio que domina filosofia
Coração intelectual da humanidade
Velho mundo adormecido
Os cabeças de prego do Brasil
Também mudaram para lá...
S.O.S. capitalistas americanos
Firmes nesse sistema de algemas
Espetáculo que prostitui grana
Baba Brasil!
Babá Brasil!
Babá clandestina!!!
Baba! Babá! Babá! U$ mil!
Pinturas da universidades
Criadoras de filhos
Que trabalham fora de casa
Ventre que cresce a cada dia
As meninas viram vadias
Os projetos dos crânios...
Lá fora tecnologia...
Olé! Olé! Oh lê!
Se vê, faça valer
Orgulho de sangue indígena
Roubaram uma terra rica
Escravizaram inocentes
E ainda não são independentes
Nossa barriga dói, com comida na panela!
Na desgraça morre nossa poesia...



MORDENISTAS


Oh! O que?
O mundo visível!
Essas iranianias bestas
Cascateiros hinduístas ingênuos
Corpo para nada serve?
Túmulo da alma?..
Existente antes antes do corpo?!!
Corpo não ressuscita?!!
Quem criou a alma?!!
Quem formou o corpo?!!
Se não serve!? Como te serve?
Tudo que busca é paz!
Razão existencial
Propósito original!
Longe tu estás de Deus
Ausente de verdade
Tu estás caído!!!
Tu crês no incognoscível Deus!?
Por isso não experimentaste o Deus pessoal!
Tu és escravo da mesquinha energia!?
Que o doente homem esvazia!!?
Impotente limitado na mente
Pressupostos não recebem revelação
Logo de si mesmo,
Nunca terás respostas
Arrisque no que resta!
Conhecestes 99% do nada!
O único que não experimentastes é Deus Jeová!
Só existe um Deus! pessoal!!!
Sua cultura moderna só pode chegar
Em 99% Fracassou!...


ABSOLUTO


Veja! Veja! Veja!
Nada! Nada! Nada!
Dicas filosóficas...
Antifilosóficos absurdos
Não tem propósito a existência?
E desgastados buscam explicações?..
Como procurar o que não existe?!.
Descobre-se tudo que existe de visível!
Tudo de matéria!..
E o invisível?!.
E o espiritual?!.
Quem me afirma que não existe?!!
O referencial auto-existente
Aquele que simplesmente criou o templo!
A bomba “atômica” do coração crente
Absolutamente não existe explicação por razão
Creia pelo Dom espiritual da fé.



MUITO PESSOAL


De deuses dos povos
Conceberam o deus absurdo
A unidade energética-impessoal
Imoral religiosidade cósmica
Fico desajustado com suas leis
Transgride a si própria
Inteligência desnivelada
Criou algo superior
Logo depois morreu!
Vergonhosa mentira impessoal não humana
Ilusão dos perseguidores sentimentais
Desestruturada realidade rabugenta
Ah!não!não!o deus cósmico não tem coração?!!
Que frustração!
Que mente vazia!
O não sentimental
Dá vida um ser sentimental?!!
Esse burro é inteligente?
O morto impessoal ao vivo pessoal?..
Onde se vê isso!
Tu és uma energia sentimental frustrada?!
Aliás a única que sorrir!
Gotas desesperadas do impessoal?
Como?
Oh! Não! Não! Intelecto ateu
Teu deus é miserável!
Também está abandonado!!!!!!!!!!...
Tem razão!
É burro de mais para ser deus!
Ah! Sim! Sim!
Olhe para o meu
Está bem ao seu lado!
Se indentifica,
Com seu interior...
Ama! Fala! Vê!
A personalidade pessoal!!!
Não me explica o impessoal



SONHO E ETERNO


Que sonho sonhei
Construindo um barquinho
Lance-o no mar
Com uma formiguinha
Eu disse:
Procure suas amiguinhas!
Que pesadelo! Que tragédia!
Toda terra virou mar!!!
No sonho! No sonho!
O barquinho flutuava, flutuava!
Dias, anos, eras e séculos e nada achava
Girando toda terra
A formiguinha não morria
No sonho! No sonho eu sorria!
Ela estava segura!..
Dentro de mim!
Navegava sobre o mar!
Seu destino eterno
Dentro de mim, nunca terá fim!
Tu estás dentro de mim! Formiguinha!
Navegando! Navegando! Não pode fugir!
Procurando as amiguinhas
Enquanto eu vou sonhando
Quando eu me levantar
Pegarei seu barquinho em minhas mãos
Tu estarás viva!
Olhando para mim!
Exclamará!
Puxa vida! Agora vejo que estava perdida!
Só assim reconhecerá
Que esteve dias e noites,
Perdida dentro de mim! Elohim...



EXISTÊNCIA LENDÁRIA


O tempo apagando
Sensibilidade acabando
Fracasso do humanismo
Esfrangalho de si mesmos
Clone em pássaro lendário
Estão morrendo em barracos
Lamas que descem dos morros
Humilhantes favelas humanas
Divinos que não se salvam
Desçam da cruz da ciência se ela é a salvação!
Que eu crerei em um mundo sem dores
Salvem a si mesmos e depois matem Deus
Clonaram uma vida!
Câncer os mata!
Aids os devora!
Pobreza e miséria
Salvem a si mesmos das desgraças!
Zombadores de Cristo
Proezas vácuas sem sentido
Alívios relâmpagos das chagas
Grato pelo menos agora!...
Quem cura sua a dor de dentro?
Trabalho para comprar o caixão
Dá até tempo!!!!
Alongaram meus dias de sofrimentos
O que acrescentaram a existência?
Se da dor tu és o autor!
Criastes tua podridão
Convivas com tua carniça!..
Eu quero é o que eu quero,
Expresso em sentenças cortantes
que não quero o que não preciso querer
Então Logos é a razão eterna
Que morreu no monte da Caveira



LIVRO PASSATEMPO


O relógio na parede
Tic-tac-tic-tac...
O grilo lá fora
Jogo de palavras cruzadas
enxaqueca de cabeça
Passatempo nas mãos
Livro que não tem sentido
Poesias contemporâneas
Que nada!
Que sono! Vou dormir!



O ANTICRISTO


Disseram-me que,
O anticristo falou
Estabeleça-se entre anarquistas e cristãos
Que perfeita equação?
Qual a finalidade e instinto
Que gera destruição?
...formação intelectual Hitler!
Que vergonhoso teste de “construção”
Seis milhões de inocentes mortos
Olhando livremente a liberdade
A convicção em si mesmo, o prendeu mortalmente
Os grandes espíritos céticos
Gozando a liberdade na prisão
Presos no seu intelecto ao seu serviço
Máquinas assassinas do inferno
Criam humanas convicções mutatórias
Que morrem nas fraquezas da limitação...
“ a crença em si mesmo,
em si mesma uma expressão,
doente de privação de si!?!”
Qual o ponto que está o crente em si???
O forte em si mesmo
Condicionado a escravidão de si
E o que diz o crente em Deus?
O fraco,
Eu sou forte naquele que me fortalece
Para surdos,
Ver gestos, significa mais que ouvir razões...
Quem está dentro de mim,
Também se manifestou lá fora!!!



LOBO-DO-MAR


Oh! Golpe fatal
Que aberração organizada
Criaram moral
Para máquina química
Caldeirão fervente
Do suicídio aquecido
Resultado coerente
Da existência química
Intermináveis angústias
Mude sua evolução no laboratório
Para homem sem sofrer!!!?
Coisa que ama,
Por qual razão?
Se não tem Deus pessoal!!!?
Tu tens mais dele?
Ou do Deus energia?!
Tu vês o homem como não-homem?
Qual a razão para sua vida programada?!
Se não acredita em nada!
Filho de um acontecimento cósmico?
Que é sua arte?
Se tu és o objeto do absurdo?
E sua filosofia greco-européia?!!!
Não passarão de aberrações?
Tu me educas na cultura!
Programando-me para a desprogramação?
Tratando-me como se eu não fosse aberração
Qual a moral de sua história?
Intelecto de macaco!
Ensinando-me o quê?
Se eu já sou!
Creio no Deus pessoal!
Jesus Cristo Filho!!!
Quem és tu?
Como raciocinas?
Salva-me agora,
Darwin, com seleção natural!!!
Tu acreditas em Deus?
Como acreditas na evolução?



ETERNIDADE OU TEATRO


Que cenas estigmatizantes
Tatuagens de minha alma
Fui no teatro da vida
Espetáculos de aplausos
Uma farsa mentirosa
Retrato da corrupção
Lá o palhaço chutava uma bola
Rolava a gigante! Rolava! Girava!
Colorida com belas cores
De repente:
Explosão barulhenta
Estourou na cara do palhaço
Pedaços de papel
Voaram para todos os lados
Retalhos escritos!
Mentira! Solidão! Ódio! Traíção. Fals...!
Indaguei-me!
Mas o palhaço não é feliz?
Por que chora pela bola
Tão suja de lixo?
Ele a amava e a chutava?
Que lindo teatro
Tela colorida que assisti.
O palhaço chorou! Chorou! Chorou...
A maquiagem desmanchou em seu rosto!
Era um negro infeliz
Com três dentes na frente!
Dois casamentos!
Nove bandidos e
Seis prostitutas
Ensinando-me lições de vida!!
Por trás da máscara...
Só Deus sabe, meu filho!!!
Minhas gotas de lágrimas
São por toda eternidade
Não sou inocente,
Estou vestido
Mestre, já tenho Cristo!



TORNANDO-SE O QUE SE É


“Então o Senhor Deus disse:
Eis que o homem se fez como um de nós,
Conhecendo o bem e o mal
Ora não aconteça que estenda sua mão,
E tome também da árvore da vida,
E coma e viva eternamente”
Coma da árvore da vida,
E viva eternamente!?
Tu já conheces o bem e o mal
Agora tu és igual?
Como viverás eternamente?
Onde está a árvore da vida?
Coma! Que viverás eternamente!
Tu amas a do conhecimento
Do bem e do mal?
Onde ela está? No seu sangue!
Morte! Pecado original! Depravação total!
E o diabo?
Sombra mentirosa!
Eu conheço fogo,
Não preciso pular dentro dele,
Meu conhecimento diz que ele queima!
Sou químico! O fogo não é ruim!
Se pular dentro dele ele mata!
Prova de fogo!!
Quem criou o mal?
Quem criou o mal?
Quem criou o mal?
Quem descobriu que o fogo queima?
O fogo é mal?



AMIGO AJADJA


Bem, Ajadja!!
Não Serei irônico
Sim!
Sempre verdadeiro
E aquelas perguntas?
Ninguém me respondeu verdades!!.
Continuam nos meios!
Então por que sou homem?
E tanta repressão a energia casual?
O que é essa moral?
Antichirst matou Deus?
E agora, Ajadja?
Vão salvar o entulho de átomos sentimentais?
Esses argumentos deles!!.
Oh! Não são vícios graves?
Não são fraudosos?
Mentiras traiçoeiras em nome da verdade!
Como colocar em ordem?
O que por natureza é uma desordem?
Se não existe arquiteto universal?
Como dizem uns de vós!
O que é honesto no seu sim e não?
O que é certo ou errado?
Qual o padrão moral estabelecido?
Não sou aberração do acaso?
Quem é Nietzsche? Marx, Darwin e Platão?
Que é arte e filosofia?
Quais as combinações químicas pensantes,
Que com um golpe de misericórdia,
Mataram o velho Deus?
Uma explosão atômica de pensamentos?
Onde está o atestado?
Como matar o que não existe?
Onde o enterraram?
Ah! No fundo da prefeitura?
O que me faz crer,
Esse bolo químico atômico
Mataram a pessoa enganada!
Eu desfilei com Deus ontem!!!
Conversei com ele!!!
É ilegal, condenar
Quem não existe,
Se tem dúvida,
Que está vivo ou não, um erro maior!!!
Incoerência racional
Onde está o réu?
Não se toca,
Em coisa que não se explica!
De onde vieram os gases?
Hidrogênio e hélio?
O que me diz da energia?
Apareceram por aí?
E antes deles?
Eu sou primeiro!
“Só sei que algo é”.
E o que vai além da experiência?
O eterno!
Imóvel!
Imutável!
Será explicado
No tempo móvel das ciências das coisas em movimento?
“Deus e somente Deus é a verdade!”
Ah! Tu és voz muda
Do mundo dos fenômenos
Tudo é acidental?
“Não há algo como ser homem e ser animal?
O que um ser não pode ser?” Contradição!
A grande questão é,
Ajadja, Homem não é homem?
A razão é, vive-se por toda eternidade!
Ou nunca seria eterno
Cristo, o mistério desvendado
Que nos une! Bom e bom!
Verdadeiramente estávamos separados
Essência e existência, ser de Deus!...
Ser criado, homem!!!
Essência e existência separados
Todos pecaram; os seres criados,
E separados estão da essência Deus!
Unidos em Cristo.


Sobre o autor

Joel Almeida é um poeta contemporâneo, natural de Capitão
Enéas/MG. Viveu a maior parte de sua vida em Montes Claros, norte de
Minas, onde participou de diversos eventos de poesia.
Atualmente, reside na cidade de curitiba e continua se dedicando
à poesia.

É também autor das obras Pérolas no Armário, Aja-Dja Brasil,
Deliberação e Lusa.

Para entrar em contanto com o autor, escreva para :
joel_almeida2000@yahoo.com.br

Para mais informações sobre o seu trabalho:

http://www.psiupoetico.blogspot.com
http://www.palavradele.com

AJA-DJA Brasil (2001)

AJA-DJA Brasil (2001)
Obra apresentada no salão de poesia "Psiu Poético" (Montes Claros-MG)

Sobre o Poeta Joel Almeida

O POETA MORREU, AGORA O POETA VIVEU?